Fan Page | Edimar Santos

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Nem Lula consegue unir PT, PMDB e PDT


Fracassou ontem nova investida petista para unir em um único palanque no Paraná os partidos da base aliada do governo Lula (PT) e fortalecer assim a candidatura presidencial de Dilma Roussef (PT) no Estado.
Em Brasília, duas rodadas de negociação sepultaram as esperanças petistas de ver peemedebistas e pedetistas caminhando juntos na disputa paranaense.
O que era para ser um almoço de entendimento entre o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, cacique do PT paranaense, os pré-candidatos ao governo, senador Osmar Dias (PDT) e governador Orlando Pessuti (PMDB), acabou afastando ainda mais o grupo e aproximando o pedetista dos tucanos, que terão Beto Richa (PSDB) disputando o Palácio das Araucárias.
Ou seja, os petistas agora terão que decidir entre lançar candidatura própria no Paraná ou fechar com Pessuti.
Segundo testemunhas do almoço, o clima ficou tenso quando Bernardo descartou qualquer possibilidade de atender a reivindicação pedetista de ter a ex-presidente do PT/PR e mulher de Paulo Bernardo, Gleisi Hoffmann, como candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Dias.
O senador teria inclusive reclamado da arrogância dos petistas e, sobretudo, da ausência de participação de Dilma Rousseff nas negociações. Na visão dos pedetistas, o governo também não teria se empenhado em construir o palanque único. Tanto que o deputado federal Ricardo Barros (PP), que foi vice-líder do governo Lula por quase três anos, debandou para o lado tucano sem que ninguém lhe fizesse contraponto.
Audiência — Na parte da tarde, foi a vez de Pessuti se encontrar com o presidente Lula (PT) no Palácio do Planalto. De acordo com o líder do governo na Assembleia, deputado Caíto Quintana (PMDB), que acompanhou o encontro, em momento algum o Lula pediu para que Pessuti desista de disputar a reeleição para apoiar Osmar Dias ao governo. O parlamentar admitiu a dificuldade em acomodar os interesse para formação de uma aliança PMDB/PT/PDT no Paraná. “É o desejo de todos, mas precisamos encontrar uma fórmula para fazer isso”.
Segundo Quintana, na próxima segunda-feira Pessuti se reúne novamente com Osmar Dias e Paulo Bernardo (PT) para continuar a procura da chapa perfeita. “Vamos procurar de toda forma unir no Paraná os partidos da base aliada nacional. Se não houver entendimento, cada um que siga o caminho que considerar mais conveniente”, finalizou.
Tucanos — Enquanto os adversários não se entendem, o pré-candidato do PSDB ao governo, Beto Richa, continua circulando pelo interior e dando como certa a aliança com o PDT. “Todas as conversas com o PDT, o senador Osmar Dias e o deputado Augustinho Zucchi, indicam uma aliança muito próxima com o PSDB, que será anunciada oficialmente esta semana. Juntos somos mais fortes”, disse Richa em entrevista a rádio CBN de Cascavel.
Quinta-feira, 3 de Junho de 2010 – 10:24

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget