Fan Page | Edimar Santos

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

IPVA para automóveis será até 11,4% menor em 2013

Governo estadual manteve alíquotas
O valor do IPVA de automóveis que o paranaense pagará em 2013 será até 11,4% menor, em razão da desvalorização dos veículos usados, conforme previsão da Receita Estadual. As alíquotas para os veículos emplacados no Paraná foram mantidas, por meio de decreto assinado pelo governador do estado, Beto Richa (PSDB), nesta terça-feira (11). A explicação para a diminuição na tarifa é a desvalorização na cotação dos veículos, calculada, na média, em 8,3% em 2012.
Outros veículos também terão redução no valor do imposto. Para caminhonetes e utilitários, a queda será de 8,4%. Os caminhões terão redução de 9%, e o imposto sobre os ônibus cairá 8,6%. Já o IPVA das motocicletas terá queda de 0,9%.
A média dos preços dos veículos é utilizada para determinar que valor será cobrado de IPVA no ano seguinte. A pesquisa é feita durante o mês de setembro de cada ano pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas(Fipe).
A alíquota cobrada no IPVA do Paraná equivale a 1% do valor do veículo para ônibus, caminhões e carros movidos a gás natural. Já para motos, automóveis e caminhonetes, a porcentagem do imposto é de 2,5%.
Arrecadação e vencimento
A estimativa da Receita Estadual é de que 3,92 milhões de veículos paguem o IPVA em 2013. Por isso, mesmo com a redução no valor cobrado, o governo espera que haja um aumento de 5,3% na arrecadação. R$ 1,7 bilhão deve ser o montante integrado aos cofres públicos com a cobrança do tributo.
Para quem pretende pagar o imposto com 5% de desconto e economizar na quitação do IPVA em 2013, o prazo começa a em fevereiro. Entre março e julho, a taxa pode ser paga sem desconto, conforme escala definida pelo final da placa.
A consulta aos valores poderá ser feita no site www.fazenda.pr.gov.br, no menu IPVA. O serviço estará disponível no link Valor Venal IPVA/2013, onde é possível informar o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) e obter mais dados sobre a cobrança.
Fonte: Gazeta do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget