Fan Page | Edimar Santos

sábado, 30 de novembro de 2013

Investimentos em saúde abrangem todas as cidades do Paraná

O governador Beto Richa concluiu nesta quinta-feira (28/11), em Nova Aurora, no Oeste do Paraná, a agenda pelos 399 municípios paranaenses. Richa é o primeiro governador do Paraná a ir pessoalmente a todas as cidades do Estado no exercício do mandato.

Desde o início da gestão, em 2011, o governador reservou pelo menos dois dias por semana ao interior para conversar com os prefeitos e as comunidades. Em Nova Aurora, o governador entregou o sistema de esgoto sanitário, liberou recursos para investimento urbano e tratou de outras obras em andamento no município.

Richa disse que sua presença nos municípios é um gesto de consideração com a população paranaense. Ele lembrou que muitos municípios nunca haviam recebido um governador no exercício do mandato e outros registraram a última visita há décadas, como é o caso de Nova Aurora. A última visita de um governador à cidade foi há 20 anos.

“Me sinto emocionado e concluo esta trajetória ainda mais encorajado a trabalhar, porque pude perceber a presença do Estado em todos os municípios e o reconhecimento da população pelo nosso esforço”, afirmou Beto Richa.
 
Os 399 municípios do Paraná recebem recursos do Governo do Estado para fortalecer a área da Saúde. Desde 2011, as redes de Atenção à Saúde Paraná Urgência e Rede Mãe Paranaense foram consolidadas e cinco programas estratégicos que destinam recursos para municípios, consórcios intermunicipais de saúde e hospitais públicos e filantrópicos foram implantados.

“Todos os programas estratégicos da Secretaria da Saúde foram formatados com o tripé custeio, investimento e capacitação”, afirma o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto. Ele destaca que mais de 35 mil profissionais de saúde foram capacitados para melhorar o atendimento do cidadão.

Também foram adquiridas 248 ambulâncias pelo governo estadual e estão à disposição da população de 129 municípios paranaenses. “O Governo do Estado promoveu a maior reestruturação da frota de ambulâncias já realizada na história do Paraná”, destacou o secretário. Além disso, nove Samus regionais estão em funcionamento, atendendo 80% da população do Paraná.

VIGILÂNCIA – Outro programa estratégico que beneficia principalmente os municípios é o VigiaSUS, que destinou em 2013 R$ 30 milhões para reforçar as ações de vigilância em todos os municípios do Estado. “Este é o maior valor já aplicado na área na história do Paraná. Em muitos municípios o valor repassado pelo Governo do Estado é superior ao recebido pelo governo federal”, enfatiza Caputo Neto.

Os recursos do VigiaSUS estão sendo utilizados pelas prefeituras para combate à dengue e outras doenças, vacinação, investigação e controle de doenças transmissíveis, vigilância sanitária, vigilância ambiental, saúde do trabalhador e ações educativas. Para a área de saúde do trabalhador, foram entregues 557 computadores para as secretarias de saúde de 397 municípios do Paraná.

INFRAESTRUTURA – Somente neste ano, foram destinados R$ 48 milhões para a construção, reforma ou ampliação de Unidades da Saúde da Família. Desde 2011, já foram liberados recursos para 272 obras em parceria com os municípios. Além da construção, o governo do estado entrega a cada unidade finalizada um kit de equipamentos composto por 65 itens, entre equipamentos médicos, odontológicos e mobiliário para que a unidade entre em funcionamento. Até o final de 2014, serão liberados recursos para construção, reforma e ampliação de 400 Unidades da Saúde da Família.

Outros R$ 30 milhões por ano são investidos para custeio das unidades de saúde credenciadas. Os recursos são definidos pelo índice de redução de desigualdades, que destina mais para os que possuem maior fragilidade, como baixo IDH, população em situação de vulnerabilidade (quilombolas, indígenas, assentados). O recurso de custeio varia de R$ 3 mil a R$ 18 mil por município.

Na área de assistência farmacêutica, 312 municípios recebem o incentivo de R$ 12 mil por ano, cada um, para fortalecer as farmácias municipais e a dispensação de medicamentos nas unidades de saúde. “Este incentivo, que é pioneiro no Estado, traz mais segurança aos pacientes que recebem o medicamento adequado para o seu tratamento”, destacou Caputo Neto.

HOSPITAIS – Os hospitais municipais também foram contemplados na Estratégia de Qualificação do Parto, para realizar partos de risco habitual e risco intermediário. Dos 82 hospitais contemplados, 29 são municipais. Neste ano foram destinados R$ 8 milhões para esta estratégia.

O secretário destaca que o governo estadual está prestes a lançar um programa específico para o fortalecimento dos hospitais públicos de pequeno porte, com menos de 50 leitos, onde também serão contemplados hospitais municipais. Para serem incluídos no programa, os hospitais estarão condicionados ao perfil assistencial e poderão atuar como unidades de estabilização para atendimento da rede de urgência e emergência. Também poderão atuar como unidades de referência para partos e como unidades de cuidados continuados para pacientes com doenças crônicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget