Fan Page | Edimar Santos

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Justiça afasta prefeito na região

Luis Fernando Dolenz
A Justiça de Joaquim decretou o afastamento do prefeito de Quatiguá Luis Fernando Dolenz no final da tarde desta segunda-feira, dia 23.A peça jurídica indica : "constatou-se que na condição de prefeito, em conluio com os demais requeridos, quais sejam, (funcionária do Hospital como nutricionista e filha do chefe do executivo) e Isabella Alves Dolenz e Marco Aurélio Souza (na época secretário municipal de saúde,diretor administrativo do Hospital e noivo de Isabella), durante o ano de 2.013, desviaram e se apropriaram, indevidamente, de verbas públicas pertencentes ao Hospital de Caridade São Vicente de Paulo,pessoa jurídica de direito privado que recebia mensalmente subvenções do próprio Município de Quatiguá, através do repasse pelo convênio nº 01/2013". 

Os golpes, segundo a Justiça,eram perpetrados por meio de simulação de pagamentos de plantões aos médicos prestadores de serviço, por intermédio de recibos de pagamento autônomo (RPA), pagamentos que nunca foram realizados os prestadores, mas destinados aos requeridos, diretamente ou através de laranjas, por meio de cheques nominais. 

A vice-prefeita Vilma Ciconhini(PSDB) não poderá assumir o cargo porque pediu afastamento em novembro de 2013,argumentando que teria prejuízos à sua aposentadoria como pedagoga. Quem deverá assumir a função é a presidente da Câmara de Vereadores, Leila Salvi(PR). 

Um inquérito civil instaurado pelo Ministério Público foi instaurado após denúncia do delegado de polícia civil de Joaquim Távora Rubens José Perez, protocolado na Cartório Criminal, em que pedia uma investigação minuciosa para apurar os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.O promotor Fabrício Muniz Sabage trabalhou no caso,que possui diversas cópias de cheques, que podem ter sido utilizados para pagamentos de médicos, mas que esse dinheiro, segundo o depoimento dos próprios médicos, e rastreamento dos depósitos, nunca chegou às mãos deles. Há também notas referentes pretensas compras de remédios efetuados na Farmácia Santa Inês, de propriedade da família do prefeito, além de indícios de “laranjas”, e até depósitos realizados a partir de maio de 2013 na conta corrente do pai do prefeito, falecido em janeiro de 2013. 

A ação foi instaurada, após a denúncia da atual provedora Cristiane Dargel Ferreira, que encaminhou cópias de documentos e cheques do hospital ao delegado. Os pagamentos em questão são todos controversos. Uma das divergências pode ser notada num cheque no valor de R$ 4.980,00 utilizado para o pagamento de um plantão realizado pela médica Jusselem Maria Costa, conforme recibo RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo) que contém o nome dela e até a assinatura de Jusselem, mas se apresenta nominal ao ex-gestor e ex-secretário da saúde. 

Há várias outras evidências de suposta fraude. A Justiça também decretou a indisponibilidade dos bens de Fernando e dos outros envolvidos até o limite do dano (multa civil,ressarcimento e danos morais) total de R$ 750 mil.
fonte NP Diário

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget